Joelio Alves, Romero Sales Filho e Andros Silva. Foto: HojePE

Romero Sales Filho concede entrevista ao HojePE e fala sobre investimentos em Ipojuca, parceria com Miguel e diz que a alcunha de “genocida” cai melhor em Paulo do que em Bolsonaro

O deputado estadual Romero Sales Filho, que nasceu em Ipojuca, cidade hoje sob o comando da sua mãe, Célias Sales, conduz seu mandato mantendo uma conexão forte com o município querido pela maioria dos turistas brasileiros que encontram nas lindas praias do território, como Porto de Galinhas, Muro Alto, Maracaípe e Serrambi, o local perfeito para relaxar e recarregar as energias.

Na entrevista que concedeu ao Hoje Pernambuco, nas dependências do seu gabinete, localizado no quarto andar do novo prédio da Assembleia Legislativa, Romero falou dos trabalhos que tem desempenhado na sua terrinha natal, dos investimentos e do cancelamento por parte do governo do estado da licitação para a primeira etapa do sistema de esgotamento sanitário da bem frequentada orla de Porto.

As eleições deste ano, sua parceria com o ex-prefeito de Petrolina e pré-candidato ao Governo de Pernambuco Miguel Coelho, emendas para a saúde e sua saída do PTB para ingressar no recém-criado partido União Brasil, foram outros temas abordados na conversa.

O parlamentar também falou sobre o transporte público da Região Metropolitana do Recife (RMR), explicou os motivos que deram origem a criação do Grande Recife Consórcio de Transporte e disse que a alcunha de “genocida” cairia melhor em Paulo Câmara do que no presidente Bolsonaro. “Chamam os outros de genocida, mas realmente quem matou gente foi o povo aqui de Pernambuco, o governador”, disparou.

Abaixo segue os melhores trechos da conversa, que durou uma hora, confira!

Romero Sales filho em conversa com Joelio Alves e Andros Silva. Foto: HojePE

Andros Silva – Deputado, muito obrigado por receber o Hoje Pernambuco aqui em seu gabinete. O senhor faz oposição ao atual governo do estado e recentemente nos deparamos com o cancelamento da licitação para a primeira etapa do sistema de esgotamento sanitário de Porto de Galinhas, em Ipojuca. O senhor enxerga isso como uma retaliação política?

Romero Sales Filho – Veja, se foi uma retaliação, é muita burrice deles, era para eles (governo do estado) capitalizarem isso. Estamos aguardando esse saneamento há mais de 20 anos. Todos os prefeitos que entram, que saem, seja oposição a nós ou não lá em Ipojuca, sempre fizeram o mesmo apelo, alguns inclusive do PSB. Já se gastou milhões com esse saneamento, inclusive o próprio PSB quando esteve na Prefeitura de Ipojuca, mas as obras já nasciam com problemas, ficando obsoletas e hoje a própria Compesa que esteve envolvida nessas obras, não quer pegar a obra, a responsabilidade. Se a Compesa quisesse, já tinha resolvido há muito tempo o problema de Porto de Galinhas.

Joelio Alves – Já tentaram municipalizar essa situação?

Já, inclusive a gente foi atrás de ajuda para a própria Compesa, a gente foi no Governo Federal, ainda na época da presidente Dilma, depois na época de Temer, conseguimos trazer através da prefeita Célia Sales junto com a ajuda de outros deputados 40 milhões para fazer o saneamento de Porto de Galinhas e na hora que chegou aqui o recurso para fazer a execução, a Compesa disse “não”, que quem teria que fazer a execução é a Compesa, “me passa esse recurso, e a gente vai executar a obra.”

Joelio Alves – E não foi feita!

A obra não foi feita, não deram satisfação, o recurso voltou para a União, porque depois de um prazo volta. Enquanto isso fizeram uma obra de 60 milhões para uma nova adutora no Complexo Administrativo de Suape, para abastecer as indústrias, ou seja, para lucrar mais eles investem, mas onde a população está reclamando há mais de 20 anos, não investem.

Andros Silva – Aproveitando o ensejo, qual a sua opinião sobre o Pacto Pela Água, anunciado pelo pré-candidato ao governo do estado do PSB, Danilo Cabral?

São muitas falácias, se eles quisessem resolver o problema da água em Pernambuco já teriam resolvido há muito tempo, afinal de contas são 16 anos, ele (Danilo Cabral) foi secretário das Cidades, ele sabe como funcionam as coisas, dizer que vai fazer um pacto agora, soa como uma piada, eu sempre digo que eles são afrontosos, brincam com a população.

Joelio Alves – Mudando um pouco de assunto, falando em Política, o senhor hoje está no União Brasil, saiu do PTB, fale sobre isso.

Exato, a gente teve aquela pequena confusão, que deixou o partido, o PTB totalmente fragilizado, um partido que antes era de grande nome, de grande porte, fez campanhas majoritárias, teve boa votação aqui no estado, teve uma das maiores bancadas na Assembleia Legislativa, Câmara Federal, mas por decisões sabe-se lá de quem, praticamente se dissolveu ao tirar o seu líder, Armando Monteiro. Armando, saiu do PTB, deixou o partido acéfalo e vocês sabem que todos precisam de uma liderança, de alguém para dizer que aquele partido vai continuar andando, conseguindo fazer grandes nomes. Então nos deixou essa insegurança e decidimos procurar novos ares, novos partidos e hoje tenho a honra de fazer parte de um partido que está com grandes nomes e tem uma bancada enorme na Câmara Federal e aqui na Assembleia tem quatro deputados. É um partido que tem chances hoje de eleger seis, sete deputados.

“Estamos aguardando esse saneamento há mais de 20 anos. Todos os prefeitos que entram, que saem, seja oposição, a nós ou não lá em Ipojuca, sempre fizeram o mesmo apelo, alguns inclusive do PSB”

Joelio Alves – E a segurança em Ipojuca, que teve por esses dias casos de violência exibidos na imprensa nacional. O que vocês tem feito pela segurança na cidade governada hoje por sua mãe? 

Ipojuca, por muito tempo, estampava todas as páginas policiais que você pode imaginar, era capa de jornal quase que diariamente, por causa da violência que estava tomando conta de Ipojuca, decorrente do desemprego, por causa de Suape, que gerou as desmobilizações das construções, e a população continuou morando lá e querendo ou não acabou acontecendo um processo de favelização. Então tivemos que trabalhar, digo que tivemos, porque sempre estive lá, dentro dessas comunidades para trazer soluções e melhorias para a segurança, conversando com batalhões, Polícia Civil, Polícia Militar, enviando, por exemplo, emendas para Polícia Civil. Para você ter ideia, hoje a Polícia Civil depende de recursos do município, estrutura de delegacia, carro, gasolina, a própria Prefeitura de Ipojuca hoje banca isso. Precisamos ter uma polícia bem estruturada para conseguir alcançar sempre bons índices.

Joelio Alves – Vamos continuar falando nos investimentos em Ipojuca…

Perfeito… A gente sempre faz o “link” com o que está acontecendo em Pernambuco e o que acontece em Ipojuca se reverbera no estado inteiro. Então a gente tem visto lá… o complexo industrial retornando aos poucos, as empresas voltando a investir, aumentar suas atividades, os empregos começando a chegar, a gente ver o turismo lá, que Ipojuca, depois da pandemia, voltou a bombar com tudo, entrando no mapa do turismo na categoria A. Então a gente ver que o turismo está começando realmente a crescer, a ter novas opções, com instalações de novos empreendimentos e a prefeita tem sempre buscado parcerias, se colocando realmente como uma vendedora para captar turistas, investidores, empresas, capacitando seu povo para vagas de emprego, fazendo uma agência do trabalho municipal. A prefeita esteve em Dubai representando sua cidade recentemente, enfim, são muitos os investimentos que estamos fazendo.

Joelio Alves – O senhor está apoiando Miguel (ex-prefeito de Petrolina e pré-candidato ao governo do estado) nessas eleições. Miguel é de uma família tradicional na política, teve um registro muito bom como prefeito. Como o senhor ver essa chegada do Miguel em Recife, na região metropolitana disputando o páreo aí como a Família Ferreira e a estrutura do PSB?

Joelio, a grande dificuldade e o maior inimigo de Miguel Coelho que eu vejo hoje é o desconhecimento do povo. Se você fizer um grande comparativo, das competências e do que virou Petrolina, a gente ver a capacidade de gestão e a gente ver isso a olho nu em Petrolina, basta fazer uma visita e você ver o que foi colocado lá, o que a população sente, a gente conversou com pessoas quando estive lá, quando teve a saída dele da prefeitura e era claro, a felicidade do povo com o desenvolvimento que Miguel fez no município. Hoje Petrolina desponta como a melhor cidade do Nordeste para investir, enquanto Recife é a pior, então se você fizer um comparativo, você pode falar que João Campos, tem a força, tem a potência do PSB, mas não fez com que a cidade do Recife, se transformasse em uma cidade boa de se investir e ele vai colocar a culpa em quem? Se agora ele está representando o mesmo governo que esteve todos esses anos no poder. Falamos sobre saneamento aqui, Petrolina hoje tem praticamente 90% da cidade saneada…

Joelio Alves – E vem brigando pela municipalização da Compesa…

Há muito tempo e a Compesa vem retirando esse direito, qual o interesse, se não político?

Joelio Alves – O senhor ver hoje Miguel Coelho preparado para ser governador?

Muito preparado, uma pessoa de extrema competência, mostrou o que fez em Petrolina. Petrolina está sendo toda calçada, as vias estão sendo abertas antes mesmo de fazer os loteamentos, então como já falei, a gente ver que ele está sempre avançando.

Romero Sales em entrevista ao Hoje Pernambuco. Foto: HojePE

Joelio Alves – O presidente Bolsonaro tem uma grande participação na boa campanha de Miguel Coelho em Petrolina, devido à liderança e a aproximação do seu pai, o senador Fernando Bezerra Coelho. Mas Miguel não levanta a bandeira que o Governo Federal investiu em Petrolina.

Veja bem, eu tenho certeza que ele não vai negar que foi o governo Bolsonaro que conseguiu executar grandes obras lá. Mas desde que ele está neste mandato, ele (Miguel) nunca deixou de está lá com o presidente e trazer as coisas para Petrolina, assim como a gente não viu o exemplo sendo dado pelo governador aqui do nosso estado. Que invés de está lá, ele (Paulo Câmara) ficou aqui reclamando do presidente. Mas se fala tanto que Bezerra Coelho conseguiu investimentos junto ao governo Bolsonaro, mas quando era Lula, para buscar recursos para Petrolina foi do mesmo jeito. Isso mostra uma capacidade de diálogo para fazer com que esses investimentos cheguem. Político bom, independente de quem esteja no poder, tem que fazer com que os recursos cheguem a sua cidade.

Andros Silva – Já estamos quase chegando ao fim deputado, mas antes de acabar vamos falar um pouco sobre saúde, assunto de suma importância. O senhor esteve visitando um hospital em Moreno, destinando emenda para a saúde daquela cidade e eu gostaria de saber a sua avaliação em relação à saúde que é oferecida pelo atual governo do estado aos pernambucanos.

Mais de 50% das minhas emendas foram destinadas para a saúde, e não é apenas a saúde, como muitos podem pensar, de Ipojuca, não. Pelo contrário, a maioria foram para hospitais de grande porte aqui do estado. Sempre tenho conversas com as diretorias destes hospitais, abrindo o diálogo com esses diretores, que é quem tem a leitura, que sabe a real situação, se falta um equipamento, se algo precisa de manutenção. Temos um deficit enorme, para você ter uma ideia, um dos hospitais que a gente visitou, tinha duzentos leitos, e sabe quantas pessoas estava no hospital sendo atendidas? Novecentas, se não me foge a memória, era o Ótavio de Freitas. Achamos um galpão com ambulâncias abandonadas há mais de dez anos, estavam zero km, ou seja, não foram distribuídas, e eu me perguntava por qual motivo? Eles (governo do estado) deram as mais diversas desculpas, mas até hoje não deram explicações exatas. Vi pessoas no chão, em macas baixas também, ao lado de banheiros sujos, isso em 2019, em 2020 fizemos novas visitas e não mudaram nada, eles ficam dizendo que investiram x, y, “investimos mil x, foi o maior investimento em saúde do Brasil”, mas aonde está indo esse dinheiro? A pandemia só veio escancarar a situação que já estava ruim e na pandemia eles ainda conseguiram maquiar, logo no início eles mandaram pessoas que estavam com cirurgias eletivas para casa (cirurgia programada que não é considerada de urgência), fecharam as portas para todas as cirurgias e com isso muitos entraram em estado grave, foram para as emergências, não conseguiram atendimento e morreram e depois chamam os outros de genocida, mas realmente quem matou gente foi o povo aqui de Pernambuco, o governador.

Continua depois da publicidade

Andros Silva – Então o título de “genocida” cai melhor em Paulo Câmara do que em Bolsonaro?

Muito, muito, porque a gente viu claramente o que aconteceu aqui em Pernambuco, não adianta dizer que abriu hospital, abriram tantos hospitais temporários na pandemia que a enfermaria ficou obsoleta, obsoleto não, na verdade, vazia. Teve hospital que estava aberto aqui com 50% do espaço vazio, enquanto isso o povo esperando em casa a situação se agravar para ser atendido, pois mandaram todo mundo com cirurgia eletiva para casa, as urgências continuaram chegando pessoas. Na pandemia eles conseguiram construir estruturas imensas não foi? Coisa que não acontecia antes, mas a Restauração, o Agamenon Magalhães, Otávio de Freitas, todos ali precisando desafogar e eles não faziam essas estruturas, mas na pandemia saíram fazendo a torto e a direito, abrindo vagas até onde não precisava, aí quando foi em 2021, a gente vendo esses hospitais, porque em 2020 a gente fez as visitas, fizemos a indicação para que esses hospitais fossem mantidos após a pandemia para as pessoas que estavam na fila de espera ficassem aguardando num leito descente, para não ficar no chão, por exemplo, mas não, pegaram, desmobilizaram, reconduziram as cirurgias, botaram todo mundo na mesma situação de caos que estavam antes. Tinham pessoas que choravam, implorando, porque não tinham conseguido fazer cirurgias, recebemos até áudios de profissionais reclamando da falta de materiais básicos dentro dos hospitais, insumo, luvas, claro sem se expor, porque a métrica do PSB é essa… perseguir aqueles que reivindicam. Aí não é só incompetência, já chegou ao nível de maldade, porque se o povo está pedindo, clamando, não tem outra opção, caso de vida ou morte, aí você escolhe não dá esse direito, só posso classificar como maldade.

Joelio Alves – E o transporte, hien deputado?

As pessoas cansam mais no trajeto que no próprio trabalho, não é? Veja, criaram o Grande Recife e depois não souberam o que fazer com o Grande Recife. O Consócio Grande Recife, foi criado para que a gente tivesse melhoria na qualidade do transporte público na região metropolitana, é a antiga EMTU, extinguiram um órgão para criar outro. O Grande Recife foi criado para gerir as concessões, para que houvesse uma obrigação contratual, por exemplo, os ônibus precisam ser renovados, precisam ter ar-condicionado, Wi-Fi, tantos acentos, quantidade de pessoas que podem viajar de pé, sentadas, mas nunca houve concessão. Já faz 12 anos, as empresas trabalham aqui com engendrado de permissões, “eu permito que tal empresa trabalhe nessa área, outra nessa área daqui, conforme eu determino”. Deve existir conchavos sabe-se lá com quem, mas eu que não vou entrar nisso, eu só peço que seja feita a concessão para que a gente possa cobrar dessas empresas a qualidade do serviço. Quem fiscaliza é o atual governo do estado, então a gente não pode confiar. 

Joelio Alves – Muito obrigado deputado, por ter recebido o Hoje Pernambuco aqui em seu gabinete para essa conversa.

Eu que agradeço e fico honrado por estarem aqui.

Andros Silva – Foi uma boa conversa, vamos encerrando, caso contrário não teremos o que conversar quando o deputado for ao Podcast do Andros ou ao Sem Pauta (risos).

(Risos) sempre tem, sempre tem o que conversar. Muito obrigado.


O Hoje Pernambuco é um site que tem o Blog do Andros inserido em seu sistema de comunicação. Joelio Alves é um dos integrantes do Portal. Você acessa o HojePE usando o link www.hojepe.com.br


23/05/2022 às 08:45 – Por Andros Silva

Compartilhe essa matéria, escolha uma rede abaixo.

Check Also

Vice de Miguel Coelho será uma mulher

Uma mulher foi escolhida para caminhar ao lado de Miguel Coelho na corrida rumo ao …