Destaques!
Foto: Hélia Scheppa/SEI

André Longo, secretário de Saúde de Pernambuco, sofreu represálias após fala sobre carnaval, diz site

O site Observatório de Olinda, que tem como titular o jornalista Pedro Tinôco, fez uma denúncia grave. Segundo o portal de notícias voltado a cidade Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade, o secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, sofreu represálias após afirmar em entrevista concedida no dia 18 deste mês que “não há segurança sanitária para eventos de grande porte como o Carnaval.”

O Portal inclusive revelou que “uma mafiazinha”, responsável por dominar 80% dos recursos da festa de Momo, pediu a demissão do médico. “A repercussão foi imediata. Logo depois da entrevista teve gente poderosa ligando para o governador a fim de “pedir a cabeça” do secretário. Ninguém está preocupado com a quarta ou a quinta onda de Covid não. Os caras só pensam em encher o bolso de dinheiro e, como sempre, o povo que se lasque”, teria dito ao site, um assessor do primeiro escalão de Paulo Câmara. Veja abaixo na íntegra a matéria que foi publicada no Observatório de Olinda.

SECRETÁRIO DE SAÚDE PODE SER DEMITIDO PORQUE DISSE QUE NÃO DEVE HAVER CARNAVAL

O secretário de saúde de Pernambuco, André Longo, vem sofrendo um verdadeiro bombardeio após entrevista concedida ontem (18) quando disse que “não há segurança sanitária para eventos de grande porte como o Carnaval”. A artilharia, que inclusive pede a demissão do médico, vem dos setores que lucram milhões de reais com os festejos de Momo, como a indústria do turismo e da cultura.

Fontes do Observatório de Olinda dentro do Palácio do Campo das Princesas, sede do Governo do Estado, revelaram que empresários, artistas e outros interessados em vender seus “serviços” repudiaram a fala do secretário – chegando a soltar alguns palavrões denegrindo a honra de sua genitora.

Eles alegam que o cancelamento da festa, no ano passado, já prejudicou demais os setores que vivem de eventos. E não vão admitir nova suspensão em 2022. Com ou sem pandemia.

“A repercussão foi imediata. Logo depois da entrevista teve gente poderosa ligando para o governador a fim de “pedir a cabeça” do secretário. Ninguém está preocupado com a quarta ou a quinta onda de covid não. Os caras só pensam em encher o bolso de dinheiro e, como sempre, o povo que se lasque”, desabafou um assessor do primeiro escalão de Paulo Câmara.

A fonte revelou ainda que, direta ou indiretamente, existe “uma mafiazinha” que domina 80% dos recursos do Carnaval e não vai sossegar enquanto o governador não garantir a realização da festa – mesmo sob ameaça de novo surto de covid.

Gostaria de ler a matéria no site Observatório de Olinda? Clique aqui.


26/11/2021 às 11:26 – Por Andros Silva

Compartilhe essa matéria, escolha uma rede abaixo.

Check Also

Vacinas anticoncepcionais para animais em Pernambuco estão proibidas. A Lei é de autoria do deputado Romero Albuquerque

Uma determinação incluída no Código Estadual de Proteção aos Animais pela Lei 17.663, de autoria …