Joel da Harpa em entrevista a Andros Silva. Foto: Blog do Andros

“Não tenho dúvidas que Anderson vai chegar ao segundo turno”, declara Joel da Harpa em entrevista ao Blog do Andros

Ontem (29), durante a inauguração da primeira etapa do Parque da Cidade, localizado em Prazeres, o Blog do Andros conversou com o deputado estadual Joel da Harpa. Filiado recentemente ao PL, partido do ainda prefeito do Jaboatão Anderson Ferreira e do presidente Jair Bolsonaro, para reforçar a chapa da legenda por vagas na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Joel contou que enxerga Anderson no segundo turno das eleições deste ano e que a polarização nacional, entre Lula e Bolsonaro, tende a acontecer em Pernambuco com os seus candidatos, Anderson e Danilo Cabral. “Com a polarização das eleições, eu não tenho dúvidas que Anderson vai para o segundo turno”, declarou.

Mesmo a entrevista sendo rápida, devido a quantidade de pessoas que buscavam a atenção do político, tivemos tempo para falar sobre Marília e as gestões do PSB. “Não quer dizer que Anderson, ao fazer um gesto por Marília, apoia os ideais de esquerda, até porque agora a própria Marília saiu do PT e foi para o Solidariedade, mostrando que ela não é uma radical de esquerda, quem é radical de esquerda está no PT, no PCdoB ou no Psol”, disse ao ser questionado se o apoio ofertado por Anderson à Marília enquanto candidata a prefeita do Recife, pode respingar, atrapalhar de alguma forma o projeto dele ao governo do estado este ano. Leia a íntegra da conversa abaixo.

Foto: Blog do Andros

Andros Silva – O senhor acredita que teremos um segundo turno nessas eleições? Caso tenhamos, Anderson estaria nele?

Joel da Harpa – Não tenho dúvidas que Anderson tomou a decisão mais acertada que foi aceitar o convite do presidente Bolsonaro para sair candidato e com a polarização das eleições, eu não tenho dúvidas também que Anderson vai para o segundo turno. A gente não tem aí um mês que houve essa sinalização de Bolsonaro para Anderson e Anderson já aparece bem nas pesquisas, isso praticamente com o trabalho, com a boa gestão que ele vem fazendo em Jaboatão. Quando esse voto de Bolsonaro começar a crescer, e ser encaminhado para Anderson, naturalmente, Anderson vai para o segundo turno. É um candidato que está com a chapa sacramentada, tem uma chapa de estadual que vem se fortalecendo, uma chapa de federal também, com nomes de peso, como o próprio André Ferreira, Pastor Eurico e também o Gilson Machado, que é o ministro do Turismo, já na chapa como senador. É um exército que está sendo criado junto com a candidatura do atual presidente da República. Uma vez no segundo turno, pela nossa visão política, nem Miguel, nem Raquel tem como ir apoiar o PSB e Raquel e Miguel trazem uma parte do voto da esquerda, somando com esse voto da direita, deixará Anderson aí com um pé no Governo de Pernambuco.

O que o senhor acha da saída da Marília do PT, do nome dela agora sendo colocado como candidata ao governo do estado?


Eu acho que a saída de Marília foi altamente positiva para Anderson, até porque Marília não tem o voto da direita, ela divide justamente esse voto da esquerda com Danilo Cabral e a própria Raquel, então eu acho que foi positiva a saída de Marília e espero que de fato ela seja candidata, seria aí mais uma candidata de oposição para poder minar a máquina do PSB, que a gente sabe que a máquina do PSB é muito forte, estão aí há quase 20 anos no poder, não é fácil você ganhar uma eleição de um governo, de um partido que tem mais de 140 municípios.

“Quando esse voto de Bolsonaro começar a crescer, e ser encaminhado para Anderson, naturalmente, Anderson vai para o segundo turno”

Sabemos que o eleitor bolsonarista é muito fiel e diante da polarização já citada pelo senhor, Lula/Bolsonaro, aquele apoio ofertado por Anderson à Marília enquanto candidata a prefeita do Recife, pode respingar, atrapalhar de alguma forma o projeto dele ao governo do estado este ano?

Deixe eu lhe falar, Anderson sendo governador, por mais que seja evangélico, conservador, ele vai ser governador de todos os pernambucanos. Acredito que esse sinal que ele fez com Marília lá atrás ficou o gesto e a dívida de Marília no segundo turno, será fazer esse mesmo gesto por Anderson. Não quer dizer que Anderson, ao fazer um gesto por Marília, apoia os ideais de esquerda, até porque agora a própria Marília saiu do PT e foi para o Solidariedade, mostrando que ela não é uma radical de esquerda, quem é radical de esquerda está no PT, no PCdoB ou no Psol. Então Marília é mais uma candidata de centro, na verdade, do que uma candidata de esquerda, lógico que essa marca do PT, pegou nela, por ter sido do partido, mas isso não quer dizer que todos os ideais de Marília sejam ideais de esquerda, por isso penso e repito que esse gesto feito por Anderson irá respingar positivamente quando Marília tiver que tomar a decisão no segundo turno. Acredito que esse caminho que Anderson fez lá atrás acabará beneficiando ele em todo o contexto geral da eleição majoritária ao Governo de Pernambuco.

Para encerrar, qual a avaliação que o senhor faz das gestões do PSB ao longo dos anos no comando de Pernambuco?


O PSB teve um momento inicial com o ex-governador Eduardo Campos que a gente não pode negar. Na época o PT mandava muito dinheiro para Pernambuco, a questão de Suape e outros fatores, como a parte dos hospitais que foram construídos e inaugurados por Eduardo, foi um momento importante que o PSB teve. Mas com a morte de Eduardo, o PSB perdeu o líder e até hoje ninguém sabe quem governa Pernambuco, ficou meio que faltando alguém para assumir de fato a liderança, o atual governador Paulo Câmara está aí até hoje sem a gente saber para o que ele veio, aí tem a viúva (esposa do Eduardo Campos) e aí vem as famílias, essa divisão da Família Arraes, com a Campos, então tudo isso dissolveu e após isso o Estado parou. Não temos nenhuma obra, de fato, nesses anos de governo do Paulo Câmara que possa marcar o governo do PSB, as rodovias, as estradas, estão sucateadas, a infraestrutura de Pernambuco está um absurdo, mobilidade urbana nem se fala, a cidade do Recife é um bom exemplo disso, você vai em cidades de estados vizinhos e ver os municípios se organizando e Pernambuco parado, não tem obras, não tem boas rodovias, os hospitais, só os que Eduardo inaugurou, não tem nenhum novo, ou seja, tudo isso, cansou a população, fora a questão da pandemia, o período de Lockdown que quebrou muitos empresários. Tudo isso o eleitor vai colocar na balança, é tanto que as pesquisas sinalizam o candidato do PSB em último lugar e não deve crescer o suficiente, talvez, quem sabe, nem para ir ao segundo turno.

Foto: Blog do Andros


30/03/2022 às 11:29 – Por Andros Silva

Compartilhe essa matéria, escolha uma rede abaixo.

Check Also

Para Raquel, Paulo Câmara também é culpado pela situação caótica do Metrorec: “O que tem a ver com o povo, tem a ver com o governador”

A vergonhosa situação a qual se encontra o Metrô do Recife foi um dos temas …