Ginaldo da Carne e Daniel Alves. Fotos: Andros Silva

Daniel diz que Anderson queria o vereador Ginaldo na presidência da Câmara para ter casa submissa. Ginaldo rebate

No final do ano passado, Adeildo da Igreja, foi reeleito (em chapa única) mais uma vez para assumir a maior cadeira da Câmara do Jaboatão, a de presidente, e dessa vez, ecoaram que a “manobra” teria sido uma ação orquestrada pelos parlamentares como resposta ao prefeito Anderson Ferreira.

Adeildo da Igreja, atual presidente da Câmara. Foto: Divulgação

O burburinho nos bastidores, davam conta que o prefeito queria pôr no lugar hoje ocupado por Adeildo, o vereador e amigo íntimo, Ginaldo da Carne. Quem explica melhor essa história é Daniel Alves, um dos defensores dessa ideia. O ex-vereador, que atualmente trabalha na Prefeitura do Recife, sob a batuta do prefeito João Campos, conversou com o Blog ao cair da tarde do sábado (15), enquanto acontecia a Festa de Santo Amaro, em Jaboatão Centro. Na rua batizada com o nome do santo, ladeado por homens que vestiam camisas padronizadas, exibindo estampas do “Movimento Dias Melhores”, sem pestanejar, ao ser questionado, Alves mandou…

“Eu acredito que foi a maneira dos vereadores, de certa forma, dá uma resposta ao prefeito. Anderson é um prefeito que não dialoga com a Câmara, prefeito que não atende telefone de vereador. Quem faz a discussão política é o irmão dele, (deputado André Ferreira), quem faz a parte administrativa hoje é o vice (Luiz Medeiros). O que a gente conversou, descobriu nos bastidores é que foi de fato uma maneira de ir contra a orientação do prefeito que queria o pastor Ginaldo como presidente da Câmara. Eu inclusive perguntei a um vereador: “houve um aproveitamento da viagem do prefeito (Anderson estava em Dubai para receber prêmio por excelência em gestão) e ele disse “sim”. Se aproveitaram do momento e garantiram a reeleição de Adeildo. Era melhor do que a eleição do pastor Ginaldo, que é muito mais ligado a Anderson Ferreira, o que deixaria a Câmara ainda mais submissa ao comando do Poder Executivo. Para evitar isso, preferiram manter Adeildo.”

De posse dessa afirmativa, como manda o bom jornalismo, fui em busca do vereador Ginaldo da Carne, pois como esta seria uma data que costuma reunir quase todos os nomes da política do município no mesmo local, ele poderia está entre a multidão e como imaginava, estava.

O encontrei já a noite, por volta das 19h, se abrigando em um ponto de ônibus, localizado por trás de uma famosa agência bancária. Um verdadeiro temporal desabava naquele momento. Enquanto finalizava uma conversa com os colegas parlamentares Charles Motorista e Neco Filho, o abordei. Atencioso, me atendeu e retrucou a fala de Daniel.

Anderson Ferreira, prefeito do Jaboatão. Foto: Divulgação

“Daniel é uma pessoa que já passou pela Câmara, fez um trabalho ali quando esteve na Câmara, mas hoje ele está ausente da casa, então na minha concepção, ele não teria nenhuma autorização, autoridade para tal resposta. A minha aproximação com o prefeito é uma coisa particular, pessoal, a Câmara tem que se manter sempre soberana, a Câmara não deve, de forma alguma, obedecer a caprichos nem de A, nem de B. Andros a escolha de Adeildo foi do colegiado, Adeildo tem feito um bom trabalho e a gente não pode ignorar esse fato. Tem conduzido a Câmara com coerência, respeitando os pares, então isso, acredito que é o modelo ideal de gestão para o segmento que faz toda diferença no município. Se os projetos estão avançando e o presidente está trabalhando bem, não tem porque mudar, correr o risco de retroagir”, explicou o parlamentar.


18/01/2022 às 10:13 – Por Andros Silva

Compartilhe essa matéria, escolha uma rede abaixo.

Check Also

Para Raquel, Paulo Câmara também é culpado pela situação caótica do Metrorec: “O que tem a ver com o povo, tem a ver com o governador”

A vergonhosa situação a qual se encontra o Metrô do Recife foi um dos temas …